domingo, 31 de janeiro de 2016

[Renovar]

Acho que agora voltei de vez, mas ainda sem certezas. E como forma de vos compensar esta ausência de novidades e de looks decidi fazer um post especial que já não fazia há muito tempo.
Estive com um olhito nas novas coleções e tenho-vos a dizer que na generalidade estão bem catitas. Então tive uma ideia: porque não aproveitar esta onda e criar um post sobre básicos que conseguem construir um guarda roupa quase na sua totalidade. Não acreditam? Então vão ver.

Escolhi 16 peças. São pouquinhas, eu sei. Mas garanto-vos mais de 15 looks (eu fiz 15, mas há combinações infinitas!). Sim, são looks para duas semanas apenas com 16 peças. Cheios de pinta, claro.
Mas ao escolher estas peças tive atenção a várias coisas:

1. Mostrar-vos que os básicos são mesmo necessários e interessantes se forem bem escolhidos.

2. Não têm que fazer uma lista daquilo que é suposto comprar. Esqueçam isso. Eu sei que já apregoei que todas temos que ter um vestido preto e uma saia preta e uma camisa branca, blablabla. Mas a verdade é que não temos. Se não se revêem nessas peças não comprem! É um erro tentarmos seguir estas dicas se não têm nada que ver com o nosso estilo. Por exemplo, dei por mim com uma gabardine bege no roupeiro e conto pelos dedos das mãos a quantidade de vezes que a tenho usado. Não vejo necessidade de comprar outra para a substituir (que a minha já tem uns anos largos!). Uma amiga disse-me que detestava perfectos e que não ia comprar. Gostei da atitude. Não se identifica - é um facto, eu posso comprovar que não tem nada a ver com ela - e por isso não "segue as regras". Eu costumo dizer: Não fica bem se não te sentires bem. E é mesmo um facto. Não adianta comprar peças todas XPTO se só nos identificamos com peças mais simples e confortáveis. E vice-versa. Acho que já perceberam o que quero dizer  ;)

3. Explicar-vos que quando falo em algumas peças que sim, são essenciais porque vos facilita imenso o trabalho quando têm que escolher o que vestir, não precisam de seguir à risca! Há atalhos, há toques aqui e ali de personalidade que podemos dar às peças e não significa que se perca o valor de básico essencial. Já vão perceber.

Estas foram as peças escolhidas:
1. Cardigan H&M 34,99€ | 2. Top Mango 19,99€ | 3. Lenço Mango 17,99€ | 4. Vestido Zara 29,95€ | 5. Macacão Zara 25,95€ | 6. Sobretudo Zara 79,95€ | 7. Saia Stradivarius 17,95€ | 8. Brincos Parfois 6,99€ | 9. Top Mango 22,99€ | 10. Sandálias Mango 35,99€ | 11. Calças Zara 29,95€ | 12. Boyfriend Blazer Zara 49,95€ | 13. Camisa Zara 25,95€ | 14. Sapatilhas Mango 35,99€ | 15. Carteira Zara 39,95€ | 16. Jeans Zara 19,95€


Então escolhi estas peças porquê? Para vos mostrar que podem dar a volta à situação: o cardigan não precisa de ser curto e abotoado nem super flat. Este tem pinta, é básico e versátil na mesma medida que os mais tradicionais; em vez de uma t-shirt podem usar uma blusa com este formato; um vestido (ou outra peça qualquer) pode ter print e ser versátil - é verdade! Não é preciso ser preto para dar bem com tudo! É crescer e aprender; Um sobretudo pode ter uma cor que não é nem camel, nem preto nem cinza e dar bem com tudo na mesma; uma saia pode não ser preta e travada - se não se identificam então adaptem as peças ao vosso estilo e não o contrário; a camisa branca pode ter um corte mais contemporâneo e mais sofisticado do que a típica camisa; o mesmo com o blazer (apesar de não parecer nesta imagem, ele é cheio de pinta e muito elegante); enfim, quis mostrar-vos que podem adaptar, dar a volta à situação em vosso favor. Não comprem coisas que sabem que não vão usar mesmo que estejam na moda ou que se apregoe que é essencial em cada roupeiro! 

Mas vamos passar ao que interessa, porque isto é muito bonito da boca para fora, mas pôr em prática não é tanto assim. Por isso, mostro-vos 15 coordenados com as mesmas peças para diferentes circunstâncias. Claro que poderiam complementar com outros acessórios, mas considerem este post como a base da sopa. Depois vocês adicionam o que preferirem ;)

[Fim de Semana] Para saídas descontraídas mas cheias de pinta e conforto.




[Trabalho] Sabemos que há empregos mais formais e outros muito mais informais. Há exemplos para ambas as situações.








[Festa | Jantar Especial] Simples, sofisticados e super elegantes. Ótimas escolhas para jantares especiais e até para pequenas festas.




Penso que mostrei o meu ponto de vista. Portanto, o que interessa reter deste post enoooorme é que vocês é que decidem o que querem comprar e devem fazê-lo de acordo com o vosso estilo. Adaptem ao vosso gosto e ao vosso estilo de vida. A moda hoje em dia já não tem regras! Divirtam-se neste processo e espero que tenha ajudado!


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

sábado, 30 de janeiro de 2016

[Medos]

Do medo de começar algo novo. Algo novo muito bom. Mesmo muito bom.
Tão bom. Tanto medo.

Não é assim sempre que saímos da nossa zona de conforto?
Dare to Begin Girl! You're on your own!


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

[Mood]

É sexta feira e apetece-me catos, amarelo e padrões aztec.

E era isto.
Tudo tão-a-minha-cara que até nem parece possível!


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

[Ontem foi noite de cinema 31]

Black Mass
Já o vi há muito tempo, no cinema. Ia cheia de curiosidade. Há muito que não via o Jonny Depp num registo deste tipo e estava interessada em conhecer a história. A verdade é que não há grande coisa a dizer sobre o filme. É excelente na caracterização das personagens - mesmo, mesmo muito boa, e não falo só do protagonista. As cenas são ótimas, muito realistas, muito ao estilo "documentário" de tão credíveis que são. É de salientar que esta história é verídica.
O que não me interessou muito foi a cadência da história. Há pouco dinamismo, há cenas bastante monótonas... Enfim, digamos que não é para todos os gostos. O interessante no meio de todas estas intrigas é que nunca conseguimos muito bem perceber se a personagem principal, que é um gangster, é bom ou mau. Então estamos sempre no limbo, a admirar ou a condenar as suas ações. É uma ótima história, sem dúvida. Cheia de surpresas e reviravoltas, num jogo de interesses sem fim. Quanto à parte técnica do filme, já tenho as minhas dúvidas. Mas uma coisa adorei (para além da caracterização) - a luz. Há planos com uma luz perfeita, lindíssima. Pancas, não é? Vejam o filme e digam-me se tenho ou não tenho razão.

O Estagiário
Há dias que não apetece ver filmes de Oscars, super densos e intensos. Não me acontece isso muitas vezes. Mas numa destas noites apeteceu-me ver O Estagiário. Uma espécie de comédia - nunca sei caracterizar muito bem estes filmes. Adoro a Anne Hathaway e também gosto do trabalho do Robert De Niro, por isso achei que os dois juntos ia resultar num filme engraçado.
Não me enganei nem um bocadinho. É um filme de domingo à tarde, claro, mas tem uma mensagem linda, e super atual sobre o conhecimento académico e a experiência de vida, sobre o confronto de gerações, sobre a forma de estar na vida, sobre a alegria de viver e a juventude seja em que idade for, sobre o carinho e o amor, sobre a família, o sucesso e o equilíbrio.
É uma história muito idílica, é certo, mas deve haver ali muitos pedaços verídicos, quer-me parecer.
E vamos todos bater palminhas ao guarda roupa da Anne que é de chorar por mais!
Confesso que é com estes filmes que deixo cair uma ou outra lagrimita. São estes que vão retratando a nossa vida e que nos vão tocando nos pontos mais sensíveis. É um filme para apontarem na vossa lista!

007 Spectre
Já não posso dizer o mesmo deste 007. Se houve filme mau que vi em 2015 foi este senhores. É terrível, cheio de cenas absurdas, sem conteúdo algum... Péssimo. Na minha opinião, o pior de todos até agora.
Está bem que pode ser birra minha por não gostar nem a pau deste Bond. Eu sempre gostei do anterior, do Pierce Brosnan, por isso este Craig não me convence nadinha. Não tem aquele je ne sais quois. Está ótimo em filmes do género Os Homens Que Odeiam as Mulheres, mas nestes torço sempre o nariz. Como se costuma dizer: ou se tem ou não se tem!
Voltando ao filme. Tem um início promissor no meu ponto de vista: Dia dos Mortos no México, cheio de efeitos visuais que eu adoro. Mas depois é um rol de mais-do-mesmo, cenas e acontecimentos tão óbvios que chegam a ser ridículos. Talvez eu já não seja apreciadora do 007, já não sou o público alvo, está bem. Mas acho que ninguém olha para aquilo e pensa "É pá, que bem feito! É claro que isto poderia mesmo acontecer!". Vamos lá ver uma coisa: ou se faz um filme real ou se faz um filme de fantasia. Tentar juntar os dois só dá porcaria. E pessoas que mandam nestas coisas: quando um prédio desaba em cima de um homem, à partida ele morre. No máximo parte partes do corpo - várias! - e não se levanta e vai a correr atrás dos mauzões como se tivesse escorregado no chão da cozinha. É só para nos entendermos. 

Profissionais da Crise
Falemos agora de filmes a sério. Eu sei que não é um filme que atraia todos os públicos - não é, definitivamente para as massas. Mas este Profissionais da Crise é qualquer coisa de muito bom principalmente para alguém, como eu, que estuda nesta área. É como se fosse uma aula prática onde vemos a teoria aplicada - e as advertências também.
Como sempre a Sandra Bullock esteve excecional. Cheia de carisma, de tudo de bom. Quanto mais filmes vejo desta senhora, mais gosto dela. Mas falemos então do cabelo dela. Onde é que eu encomendo um igual para mim? Digam-me. E o guarda roupa - que parece quase sempre o mesmo - também pode vir todinho aqui para casa. Ainda tenho espaço, vá.
O nosso Joaquim de Almeida está muito bem mas faz sempre de latino "vilão", não percebo - ou melhor, percebo muito bem.
O filme conta o percurso das campanhas dos candidatos à presidência da Bolívia e como uma assessora/spin doctor consegue virar os resultados. É para vocês verem o poder que a minha profissão tem (ehehehehe). É muito interessante e recomendo principalmente a quem se interessa por este assunto. Muito bom! Relativamente à técnica e afins, bom, nada de extraordinário. Vale pelo conteúdo e pelos "ensinamentos".


 Hunger Games Mockingjay Parte II
Passamos de um filme ótimo para um filme que me fez bocejar de sono, corar de vergonha e olhar três vezes para o relógio.
Não sei se o foram ver. Eu fui vê-lo ao cinema e chorei os 6€ e tal que dei pelo bilhete. O filme não é mau de efeitos especiais (nem podia!). Mas é terrível no que diz respeito ao conteúdo porque praticamente não há nenhum. Mas alguém achou que aquilo ia ser extraordinário, só que é tão previsível mas tão previsível que nem dá para acreditar. O suposto twist que acontece no fim fez-me rir e ter pena do tempo e dinheiro que despendi ali porque já o tinha previsto nos 10 primeiros minutos de filme - como toda a gente que o viu, acho.
Há partes desnecessárias, partes ridículas como zombies e essas macacadas todas que não têm jeito nenhum. O final é péssimo e todo o filme é, como disse, previsível.
Safa-se aqui os bons atores, que os há! O guarda roupa irrepreensível, maravilhoso, que é bonito de se ver. E alguns efeitos especiais (nem todos). Tudo o resto, podem esquecer. Acho que é o pior filme dos quatro.

Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força
Ora bem, como é que eu vou começar isto? Posso começar por vos avisar: eu não consigo ser imparcial com este filme. Não dá. Tomem, portanto, esta "crítica" como subjetiva.
Demorei-me a ir ao cinema por três motivos: o primeiro foi a falta de tempo; o segundo foi ter pensado "deixa lá ir a primeira enxurrada e depois eu vou no sossego com meia dúzia de pessoas na sala"; e terceiro foi o receio de me desiludir já que o realizador mudou. Mas vamos por partes.
Foi um disparate esperar por causa das multidões. Fui 20 dias depois do filme estrear.  A um domingo à hora do jantar. Esperei mais de 20 minutos na fila para comprar os bilhetes e fiquei na terceira fila a contar da frente, encostada ao canto da sala porque o resto estava cheio. Por isso, se querem ver um filme destes, nem vale a pena esperarem. Os problemas vão manter-se.
Relativamente ao medo da desilusão, era real. Seis filmes realizados e pensados por uma pessoa (George Lucas) e agora temos um J .J. Abrams à frente das tropas. Isto podia ter corrido muito mal. Podia recair para o futurismo estúpido que nos faz ter vergonha alheia (e vergonha nossa por estarmos a assistir àquilo). Ou pior. Podia começar ali uma história ramelosa de reencontros cheios de corações e lágrimas. Medo. Muito medo.
Felizmente, graças ao padroeiro dos realizadores iluminados ao qual o J.J. recorreu com frequência, o filme está... como é que eu hei-de explicar isto... MARAVILHOSO! PERFEITO! ESPETACULAR! Quando saí da sala eu só dizia "Meu Deus, que filme espetacular!" (disse isso durante uns 10 minutos e depois calei-me e continuei a dizê-lo só para mim).
Os efeitos estão espetaculares, as personagens são boas, as histórias atrevo-me a dizer que até são melhores do que as dos três primeiros episódios. Um stormtrooper bom? A sério? Espetacular! E mais não conto porque é spoiler! Os reencontros são maravilhosos. A entrada do meu Chewezinho e do Han é muito engraçada - o Harrison não desiludiu! - e a Leia está muito melhor atriz. E giraça! As piadas são perfeitas, na altura certa, parecem naturais...
Até o Finn e a Rey estão maravilhosos. Não desiludiram e são melhores atores que o Luke e a Leia na sua altura. Se tenho que fazer um reparo é ao terrível Kylo Ren. Personagem má, mas não tão forte como o próprio do Lord Vader. Não lhe achei muita graça logo no primeiro passo que deu. Não tinha um andar de malvado. Não impôs respeito. Quando tirou o capacete piorou bastante. Mas tudo a seu tempo. Ele ainda é um pequeno aprendiz das Forças do Mal. Há-de tornar-se melhor... Ou antes, pior. Mas por mim mudavamos-lhe o sabre. Não gosto daquelas coisas a sair ali do lado. Não estamos no Game of Thrones. Os sabres são como são. Não me mexam nisso!
Mas continuando...
Quando no ecrã apareceu "Long time ago in a galaxy far, faz away..." e eu estava à espera daquele STAR WARS gigante acompanhado por aquela banda sonora de arrepiar todos os pelinhos do corpo e reparo que a maioria das pessoas na sala se assustaram por não estarem à espera - a sério? Um minuto de silêncio por essas alminhas. Foi épico minha gente. ÉPICO!
Eu podia continuar a falar e a falar mas não posso porque tenho mais que fazer e vocês também. Vou só fazer referência ao BB-8 que é a coisa mais fofa de sempre. Mas à frente está o pucanino-de-sua-tia, o meu R2-D2. E depois vem o Sheldon C-3PO, fiel a si mesmo.
Em suma, o novo realizador veio trazer a vida, a inovação, a novidade que já não havia. É manter-se fiel às origens mas dar um novo upgrade. Eu não queria ter este trabalho difícil. Parabéns JJ. Esperemos pelos próximos dois episódios. Que a força esteja contigo.

A Travessia
A história é bonita em si, mas a forma como a contam é muito envolvente, inovadora e dinâmica. Gostei principalmente dos jogos de planos.
O ator principal surpreendeu-me. Pensei que era mesmo francês e não é nada. Americano de gema. Sotaque e maneiras impecáveis que conseguiram mesmo enganar-me.
A história, posso adiantar, é de um equilibrista com 24 anos que sonhou um dia estender um cabo entre as duas Torres Gémeas em Nova Iorque e caminhar sobre ele sem qualquer tipo de mecanismo de segurança. Só ele, o arame e o seu incrível equilíbrio.
Como podem ver pela capa e pela história (é uma história verídica pessoal!) ele consegue fazê-lo - não estou a fazer nenhum spoiler - não uma vez, mas 8. Surreal. Todo o filme relata a preparação para este acontecimento que tomou lugar no dia 7 de agosto de 1974. Philipe Petit ainda é vivo e as fotografias deste dia podem encontrá-las na internet. Mas deixo estaestaesta e esta para vos aguçar a curiosidade. O filme vale só pelas imagens maravilhosas de realistas das Duas Torres.

Vi muitos outros filmes. Mas há dois que quero destacar: The Departed do Di Caprio que é fenomenal. Não entendo como é que nunca o tinha visto. Adorei. E principalmente Inception também do Di Caprio. Já o tinha visto, mas na altura não vi até ao fim porque não achei piada nenhuma e porque não gostava do rapaz - vá-se lá perceber como! É crescer e aprender - mas fiz questão de ser o último filme que vi em 2015. Literalmente. Faltavam-me 20 minutos para acabar e tive que desligar (no dia 30 de dezembro) e foi quando faltava 30 minutos para a família chegar a minha casa para dar início à festa de fim de ano que eu terminei de o ver. É tipo Matrix: nunca mais vemos as coisas da mesma forma.


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

[Metade]

Um look quentinho e muito descontraído mas cheio de pormenores com pinta para o meio da semana!
Camisola e Camiseiro | Bershka
Sapatilhas | Lefties
Carteira | Parfois
Luvas | Mango
Jeans | Zara

Boa quarta pessoas giras!


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

domingo, 24 de janeiro de 2016

sábado, 23 de janeiro de 2016

[Os Meus Anos]

Os festejos do meu aniversário duraram uma semana. Verídico. Por mim teria havido mais uma festa, com os meus amigos da universidade, mas nesta altura de testes e trabalhos é muito difícil.
Tudo começou na segunda feira, dia 4 de janeiro. Combinei jantar com as minhas mais-que-tudo, menos a Mariana que não estava pertinho de nós, mas foi como se estivesse! Foi um jantar super agradável. Comemos bem, rimo-nos até doer a barriga - quando é que nos juntamos e isso não acontece?! - e partilhamos ótimas notícias! No final fomos a um bar muito simpático que desconhecia. Rimo-nos mais e à meia noite cantaram-me os parabéns.

(As fotos não têm grande qualidade, mas a verdade é que ninguém quis saber disso para nada!)

No dia dos meus anos não tirei uma única fotografia! Juro. Fico sempre meia nostálgica nesse dia e nunca tenho muita vontade fazer grande coisa. Mas o meu dia foi fantástico apesar de ter estado um temporal horrível - nada de novo, portanto. Almocei em frente ao rio, passei num instantinho no shopping porque os meus pais queriam dar-me um presente, mas não gostei de nada. Passeamos bastante e no fim do dia jantei em casa com a minha família. Nem fotografias à mesa tirei, para vocês verem. Também não estava nada de especial. Estava ao meu gosto (branco, verde e azul turquesa!). Cantaram-me os parabéns de novo.
No final dos arrumos fui estudar - sim, porque fazer anos em janeiro quando estamos na universidade é das piores coisinhas que há.

Já na sexta feira, o meu dia começou às 7h30 da manhã. Saí da universidade às 14h. Às 15h levei a minha Princesa à veterinária para fazer uma cirurgia. Saí lavada em lágrimas. Trabalhei em casa até às 19h. Entretanto a minha menina chegou. Os meus pais foram buscá-la. Vinha muito anestesiada e não reagia muito. Nunca teve tanto mimo como nesses dias. Está estragadinha, a minha mimalha! Felizmente correu tudo maravilhosamente bem. É uma guerreira.
Às 20h30 saí para a minha terceira festa de aniversário. Ia sem vontade, confesso. Saí com o coração nas mãos porque só queria estar ao lado da minha menina. Mas valeu a pena. Os meus são fantásticos e fizeram-me passar um ótimo bocado. É um grupo grande e bonito. Dos amigos do coração desde sempre. Juro. Conhecem-me há tanto tempo como eu me conheço. E não é toda a gente que se pode gabar de manter amizades assim. São os meus. 
Seguimos para um outro bar que eu nunca tinha ido - foi uma semana de descobertas. E no final dançamos até nos enchermos. Tive pena de estar tão cansada e de não ter ficado até mais tarde, mas a semana foi horrível de tanto trabalho e estudo (isto de ter três festas faz com que se tenha que compensar de outras formas, isto é, quase não dormir).
Pronto, os meninos armaram-se em esquisitos na primeira foto.

Há dois anos que não tinha herpes. Na segunda feira apareceu-me um. Muito bonito, por acaso. Dos mais giros e sexy que já tive. Foi um gosto. Fez com que não pudesse dar nem receber beijinhos bons. Foi a pior parte. O resto, é só desvalorizar e fingir que não estava ali nada. Não me impediu de me divertir imenso.
Keep it positive. Afinal, não há ninguém tão feliz e tão sortuda como eu!

Muito obrigada a todos os meus amigos do coração.
Ainda estou de coração cheio e muito grata por vos ter a todos na minha vida.
E finalmente aceito a minha idade. Já não são 20+3. São mesmo 23. 
(Sim, acho que tenho síndrome de Peter Pan!)


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

[Girls just wanna have a lots of fun]



Ontem foi até as lágrimas caírem pela cara de tanta gargalhada. Pode passar o tempo que passar. A vida até nos pode separar por algum tempo - essa gaja não nos perdoa! - nunca nada vai mudar. Aquelas amizades que ficam para a vida.
Adoro-as de coração. Como irmãs de verdade.
Caramba que ontem foi uma noite muito feliz. Mesmo muito, muito feliz.
Daquelas noites de chegar a casa ao mesmo tempo que os pais se estavam a acabar de arranjar para sair.
Que se repita.
Eu sei que se vai repetir.


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

domingo, 17 de janeiro de 2016

[Muita calma nessa hora]

Já estou com a cabeça nas férias. Ainda falta mais de uma semana - com tudo a correr bem - para dizer que posso fechar os livros e finalmente descansar. Mas eu já fiz uma lista mental sobre o que quero fazer com o meu tempo livre. Para que nada se perca e tudo se rentabilize. Vamos por partes:

[1] Revolução no meu quarto
Literalmente. Quero tirar tudo. Limpar em profundidade. Reorganizar e esvaziar. Uma das piores partes desta fase de tanto trabalho é que pouco tempo me resta para arrumar e os papéis, os envelopes, as fotocópias, tudo e mais alguma que se vai acumulando. Quero acabar coisas que ficaram meias começadas e quero tirar metade da tralha que por aqui anda.

[2] Revolução no meu roupeiro
Mais uma vez, tirar tudo para fora. Reorganizar e eliminar mais de metade da roupa que tenho por aqui encostada. Deixar o que uso muitas vezes, o que me faz falta. Depois disso, percebo o que me falta, faço uma listinha e tento ver se me safo já no final dos saldos - vá, não me gozem, há que ter esperança!

[3] Atualizar
O blog, as minhas leituras da Vogue - tenho duas ali encostadinhas e nem tive a oportunidade de as ler sossegada (passar os olhos não conta!) - e as minhas pesquisas para novos projetos.

[4] Cultivar
Isto é, acabar os dois livros começados, começar os outros dois que foram presente de Natal e ver todos os filmes para os Oscars e todos os outros que me apetecer ver.

[5] Revolução na alimentação
Pôr em prática receitas que estão guardadas há muito tempo mas que nunca tive tempo (nem paciência) para experimentar. Criar hábitos novos e mais saudáveis.

[6] Revolução em mim própria
Tratar de mim. Ir à cabeleireira - também mereço! -, arranjar as unhas, uma hidratação profunda, esfoliação e tudo a que tenho direito.
E o mais importante: organizar as ideias, gerir o tempo, definir prioridades e escolher os meus 12 desejos para 2016 - que é como quem diz: os meus objetivos.

Mas agora há dois testes e dois trabalhos por fazer até conseguir pôr em prática estes pequenos planos. Calma, já faltou mais!


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

sábado, 16 de janeiro de 2016

[Já Faltou Mais]

Está bem que é fim de semana, mas por aqui o trabalho não para. Muito pelo contrário!
Volto ao estudo em menos de nada.
Já faltou mais - pensamento positivo!


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

[Too much information]

Tenho tanto para vos dizer! Tenho que vos falar dos Globos de Ouro - mas a parte a sério e realmente importante - e realçar o globo do meu LEOZINHO! Eu sabia que era teu. O Oscar também já tem o teu nome gravado, não te preocupes. Queres que te escreva o discurso? Tu vê lá Leo. Eu arranjo aqui uns 20 minutinhos, ligamos o Skype e resolvemos isto num ápice.

Quero muito falar-vos dos filmes que tenho andado a ver - nossa senhora, tão bons filmes que eu ando a ver senhores! - como Perdido em Marte, Star Wars, O Renascido (CLARO!), A Rapariga Dinamarquesa, A Travessia,... Enfim. Também já vi a primeira - e para já única - temporada de Mr. Robot e tenho que falar sobre isto.

Aiiiii! Que quero muito falar-vos dos nomeados para os Oscars deste ano e de todos os filmes que eu ainda quero ver e estou mesmo muito ansiosa por esses momentos...

Aiiiiiii... Tanto assunto e tão pouco tempo...


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

[Globos de Ouro 2016 - Red Carpet]

Não estou ainda de volta. Não a 100% pelo menos. Mas penso que agora vou conseguir ter mais um tempinho para respirar. Ainda há muito que fazer mas os vestidinhos dos Globos não podiam esperar mais. E sim, eu sei que sou a última das últimas a tocar neste tema, mas pronto, espero que não se importem.

Comecemos, como sempre, por aqueles que não há justificação:
Rooney Mara
No geral costumo gostar das escolhas da Rooney para a red carpet. Desta vez, é caso para dizer, que mais valia ter ficado em casa e ter visto a cerimónia em frente à televisão de pijama.

Rachel McAdams
é giríssima, tem pinta, tem presença e depois aparece-me enrolada num retalho de saldos da Feira dos Tecidos. Não percebo... Mas se bem me lembro, já é uma situação normal nela.

Portia Doubleday
Gosto da Portia. Gosto da personagem dela no Mr. Robot. Nem muito certinha nem endiabrada. Tem cara de anjo mas sabe fazê-las na hora. Eu percebi a ideia Portia - Mr. Robot e vens vestida de robot... Mas não. Conceito errado. Pareces uma bola de espelhos mas em mau. A maquilhagem, no entanto, está impecável! Para o ano tentas outra vez, vá, não fiques triste.

Jaimie Alexander
Isso não está a resultar pois não Jaimie? Tu sabes. Estou a ver pela tua cara que tu já percebeste isso. Já foste é tarde.

Eva Green
A sósia de uma amiga minha. Juro! Mas aqui está a prova provada de que um Elie Saab pode ajudar, mas sozinho não faz milagres. Cadê um pente nesse cabelo? Cadê uma costureira nessa bainha?

Amanda Peet
Está tudo errado nesta foto. Tudo. Esse vestido meio depenado meio por depenar, essa gola alta, esse penteado manhoso feito na Goreti Cabeleireira. Vá, passemos à frente que eu não consigo mais!

Gina Rodriguez
Já não sou uma fã do azul marinho (só em raríssimas exceções) mas aqui a Gina decidiu que era uma cor ótima para um vestido acetinado, em balão. Qual Cinderella qual quê? E ainda achou inteligente aquele penteado que eu fazia quando andava no 7º ano porque queria domar a franja.


Quem és tu e o que é que fizeste à menina?!
Lady Gaga
Ainda estou na dúvida se será mesmo a Lady Gaga. Aquela que se vestiu de bifes. Lembram-se? Aquela que passa a vida ao tombos por causa dos sapatos Alexander McQueen. Essa mesma decidiu ressuscitar a Marilyn Monroe. Cruzes credo. Não posso dizer que está mal, porque não está! Mas está descolada dela própria.

Katy Perry
E por falar em estar descolada dela própria... Katy Perry saída dos anos 60. Mais uma vez, não acho que esteja maaaal (à exceção daquele decote que não funciona nada bem) mas não a reconheço.

Kate Hudson
Está bem que quem pode, pode. Mas esse modelo é tão 2001. Não acrescenta nada de novo, não é interessante, não é memorável nem realça a beleza da Kate. Não percebi esta escolha.

Jennifer Lopez
Lembram-se de eu dizer que basta trazerem um vestido amarelo que ficavam logo no meu top? Retiro o que disse. Este vestido é too much. A cor é muito forte para tanto tecido, tanto drapeado, tanto tudo. E a Geninha, no seu melhor ainda achou que fixe fixe era um bom colar de diamantes ali em cima. Tudo a que tem direito. Enfim, a Geninha vai ser sempre a Geninha. Mas o que me deixou surpreendida e na dúvida se era mesmo ela foi o facto de vir tão tapadinha. Incrível!

Eva Longoria
Já me ri com este vestido, juro. Há pessoas que querem vir muito tapadinhas mas querem continuar a chamar a atenção. Então vá de meter flores, brilhos, laços no peito, laços na cinta, rachas, costas abertas... Tudo a que se tem direito. Ai Evinha, mais valia estares como estavas... De pijama em casa.


Todos adoraram menos eu:
Julianne Moore
Toda a gente elogiou esta escolha da Julianne. Eu simplesmente não lhe consigo achar graça. Já a vi bem mais gira, mais sexy e igualmente tapadinha.

Brie Larson
Foi quase uma ovação de pé à escolha desta pequena. E eu pergunto: Mas onde é que este vestido é especial? Sim, ela pode, tem uns grandes abdominais mas de resto é só mais um vestido de lantejoulas, nude e destapado. Nada de especial se passa ali.

Alicia Vikander
Esta rapariga é giríssima. Apesar de não parecer aqui. E toda a gente se curvou perante o seu vestido. Tudo o que era críticos de moda pousou os joelhos no chão e agradeceu aos céus por esta visão. Eu continuo a achar que já vi aventais mais giros.


OMG adoro!!! Eh, afinal nem gosto assim tanto... Gosto tanto!!! Nem por isso...
Olivia Palermo
É a Olivia, nem sei como é que se pode questionar. A minha primeira reação foi "Adoro!!! Tão gira e diferente" mas depois pensei "São os Globos e vieste assim vestida?" Mas no fim é simples de resolver este impasse: é a Olivia, está linda de morrer, diferente, e eu adoro!

Kirsten Dunst
Não lido muito bem com grandes decotes como este. Principalmente por o peito parecer muito largo. Mas tenho que dar a mão à palmatória e dizer que é um vestido lindo, que lhe fica muito bem e quem me dera a mim conseguir vesti-lo com a mesma dignidade (ahahaha).

Jane Fonda
Modo noiva vintage, modo cupcake, modo merengue, modo chantilly, enfim... Há muitas comparações válidas ao olhar para esta foto. Mas eu acho o vestido interessante e que em tudo tem que ver com a Jane. Arrojado mas com classe. Não é o meu favorito, já a vi bem melhor, mas tem piada e assenta-lhe muito bem.

Khaleesi Emilia Clark
A Mãe dos Dragões surpreendeu. Inicialmente detestei. Agora, cada vez que olho para a foto cada vez gosto mais. Só uma Khaleesi poderia vestir-se assim e continuar sexy, linda de morrer e super classy.

Cate Blanchett
Não havia outra pessoa no mundo que pudesse vestir esta peça em 2016 e ficar perfeita. Esta mulher não sabe errar. Mesmo quando se parece com a personagem do Eddie n' A Rapariga Dinamarquesa.


Os bons mas que ainda assim não são os melhores:
Helen Mirren
Esta senhora está sempre nos meus tops. É a prova viva de que a elegância e o bom gosto não têm idade. Num simples vestido preto mostrou a todas como é que se faz e sambou na cara das invejosas.

Jenna Dewan Tatum
Estou um bocadinho fartinha deste modelo de vestidos. Mas este é giro, assenta-lhe bem, tem pormenores bonitos e ainda assim é azul marinho! Não é uma obra de arte, mas convence bem. 

Olivia Wild
Quem pode, pode e esta gata pode tudo. Tudo lhe assenta na perfeição. Este decote não é, de todo, dos meus favoritos e ainda assim ela mostrou-me que pode ficar muito bem - nela, claro!

A nata das natas:
Amy Adams
Giraça, cheia de pinta, de vida, cheia de tudo. Com um vestido simples p.q., eficaz e muito vistoso. Tem a cor certa e os pormenores certos. Adorei o corte inesperado (faz lembrar o corte de tops de desporto) mas que resulta muito bem. Well done Amy!

Heidi Klum
Eu juro que queria este vestido. Tão chique, tão sexy, tão Gatsby! E queria este bronze, esta descontração... O segredo foi esse mesmo: a descontração. O cabelo mal apanhado, uma maquilhagem muito simples... Enfim, para balançar a força do vestido. Rendi-me, confesso.

Rosie Huntington-Whiteley
Se me dissessem que iria escolher um vestido com esta cor para o meu top eu ria-me na cara dessa pessoa. E cá está ele. Perfeito. Que só o é por ser a Rosie a vesti-lo, claro. Mais uma vez, adoro o "chique" do vestido e a descontração em tudo o resto. Perfeito!

Jennifer Lawrence
Por fim, a Jennifer que já é cliente habitual aqui nestas bandas. Um vestido simples - cada vez gosto mais destes cortes simples e interessantes - com uma cor uau!, com cortes giros e diferentes do que estamos mais do que fartinhas de ver, um colar de diamantes e toda uma personalidade marcante.

Pronto, termino por aqui a minha missão. Não vos dei grandes novidades, eu sei. Já estão fartinhas de ler posts semelhantes. Mas enfim, espero que se tenham divertido. Vou voltar agora ao trabalho.


[Sticky&Raw]
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt