quarta-feira, 13 de junho de 2018

restart


Sabem bem que sou adepta incondicional de uma vida ativa. Só assim é que consigo ser feliz. No final de abril participei na minha primeira prova de corrida como podem ler aqui e foi incrível (afinal corri em 31 minutos e não em 40 e tal). Mas toda a preparação foi extremamente dura, principalmente para quem tem um horário fixo de 8 horas de trabalho, como eu. Essas duas semanas treinei praticamente TODOS os dias. Ou ia correr, ou para o ginásio, ou para a natação ou Pilates, ou várias coisas no mesmo dia... Dependia. Comprometi-me e cumpri. Mas quando terminei a prova pensei para mim "vou permitir-me a descansar só esta semana". Continuei a ir para o ginásio e para o Pilates na semana seguinte, mas sem o mesmo compromisso que antes da prova. Corri mais uma vez, na passadeira do ginásio (primeira vez que consegui correr 5km sem parar). Mas na passadeira não conta tanto, já sabemos!

O mês de maio foi danado. Tive 3 festas (!!!) em 3 fins-de-semana diferentes. Houve o Enterro da Gata e tive que dispensar o meu parceiro de treino, reuniões pós-laborais e mais duas ou três coisas que, constantemente, me foram impedindo de ir treinar. Deixei o ginásio e passei só a fazer Pilates uma vez por semana (isso eu não largo, senhores!). Resumindo, parei quase por completo.

Não têm a noção da diferença abismal que senti no meu corpo. Não falo em gordura ou flacidez (que também se nota) mas refiro-me ao constante cansaço, à tendência para uma alimentação menos cuidada, ao sono e à preguiça generalizada. Quando treinava todos os dias parecia que tinha em mim uma fonte de energia inesgotável, de quem corre, faz Pilates e ainda vem animada e cheia de pica para casa, pronta para fazer mais meia dúzia de coisas. Deixei de sentir essa felicidade toda e essa animação. E SÓ PASSOU UM MÊS! Imagino quem deixa de treinar por muito mais tempo...

E agora qual é a situação? É que o mês de junho chegou e eu voltei a treinar, mas sem vontade nenhuma. Senhores, eu sou a pessoa que está sempre pronta para um treininho! Sempre! E agora quando penso nisso fico "ooohhh não queeeeeero ir!". Não é normal! Por isso, já me convenci que isto não pode ser assim, que tenho que focar em voltar à forma de antes e melhorar. Por isso, defini os dias em que vou ao ginásio (se forem dias aleatórios, a tendência para adiar para o dia seguinte é maior) e é para cumprir à risca. Ontem comecei com essa exigência militar e correu tudo muito bem! Mesmo muito bem. O corpo já se está a adaptar na mesma, já me sinto mais eu e já estou mais feliz. É só continuar no mesmo registo. Deste modo, segundas, quartas e sábados há ginásio (e natação sempre que possível) e às quintas há Pilates. Entretanto, irei arranjar tempo para voltar às corridas, quando a minha motivação regressar a 100%.

E este post é para quê? Para relembrar que isto custa a todos... Custa a quem faz exercício e a quem não faz. Nem todos os dias estamos para aí virados, nem todos os dias nos apetece ir e nem todos os dias são felizes e cheios de energia. Também acho que devemos saber ouvir o nosso corpo e saber distinguir quando é preguiça e quando é cansaço. A preguiça combate-se no ginásio, o cansaço combate-se com um dia de merecido descanso. O importante é haver equilíbrio.

Ok?
Vão voltar a calçar as sapatilhas?
Vamos começar todas juntas?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

segunda-feira, 11 de junho de 2018

fim-de-semana

Eu não disse que este fim-de-semana ia ser super também? ;)

Começou com uma sexta-feira atribulada, sempre de um lado para o outro e a deitar-me tarde e a más horas. O sábado começou cedinho. Equipei-me o melhor que pude porque era dia de NOS Primavera Sound e as previsões não eram as mais favoráveis. Tudo tranquilo! Quando saímos de casa o sol, ainda que tímido, brilhava. Pus os óculos de sol e fiquei em t-shirt numa esplanada junto ao mar de Matosinhos. Claro que esses momentos foram curtíssimos. O frio chegou e com ele a chuva. Chuva, muita chuva. E desde as 13 horas não parou de chover. Mantivemo-nos abrigados durante o almoço e o lanche e só por volta das 18h é que nos dirigimos para o recinto. Não sei quanto a vocês, mas eu nunca tinha ido ao Primavera e fiquei fã. É um festival caríssimo (sem dúvida) mas vale cada cêntimo. E eu digo isto e só estive lá num verdadeiro dia de inverno, onde não tivemos momentos em que não chovesse. Claro que se fosse num dia de primavera, ia aproveitar muito melhor e ia adorar ainda mais todo o conceito do festival. Achei as instalações ótimas, o serviço muito eficiente, imensas casas de banho e em condições aceitáveis - tendo em conta a chuva intensa e o grande número de pessoas -, com imensas opções para comer (escolhi teriyaki noodles), boa música, excelente ambiente, uma decoração LINDÍSSIMA... Enfim, não tenho mesmo nada de mau a apontar. Até cházinho quente me ofereceram! E já sabemos que quem me dá um bocadinho de chá quentinho, dá-me tudo.

Não conhecia quase ninguém do cartaz de sábado mas ainda bem. Fiz questão de ir à confiança, sem conhecer nada. Gostei imenso de Kelela (que está na fotografia), de Public Service Broadcasting e de War on Drugs (que conhecia pelo menos uma música, afinal). Foram os concertos que mais gostei. O que menos gostei foi mesmo o cabeça de cartaz. É quase pecado dizer isso, mas gostos não se discutem, ok? A música de Nick Cave não é mesmo a minha cena mas estive lá a assistir e admito que o senhor super talentoso, misterioso e consegue mesmo cativar o público. Acredito que os fãs ou os admiradores tenham ficado extasiados com esta atuação.

O festival é bastante eco-consciente - um dos principais motivos que me fez gostar tanto da experiência. Só distribuíam copos reutilizáveis (que vêem na imagem) que são giros que dói e super amigos do ambiente, sabem porquê? Porque o pessoal quer levá-los para casa e, por isso, não vi um único copo no chão. Aliás, a única coisa que vi no chão foram beatas de cigarro. E só por isso já podemos dizer que é um projeto para ser continuado. Ah e não faltavam caixotes do lixo e ecopontos espalhados por todo o recinto. Não havia desculpas.

Os únicos pontos menos positivos foram o preço de tudo - 6€ por uma cerveja, incluindo a caução do copo que custava 1€ e 8€ por um prato de noodles com legumes e cogumelos - e a chuva. Quanto ao preço, já sabia ao que ia. O Primavera sempre teve fama de ser um dos festivais mais caros de Portugal e, não é que tenha ido a mais algum, mas acho que deve ser mesmo verdade. Quanto à chuva, não havia nada a fazer a não ser aceitar as condições, lidar com isso da melhor maneira e curtir o máximo possível. Afinal, estava no Primavera, caraças! Só pensava que havia muita gente que gostava tanto de ter ido e não pode, por isso, não tinha o direito de reclamar com um bocadinho de chuva, certo? Bom, mas choveu sempre, sempre, sempre. Mesmo quando fomos jantar, debaixo de um coberto, estava tudo molhado (mesa, bancos, tudo) e pingava por cima de nós. Não nos conseguíamos sentar em lado nenhum porque estava tudo molhado, o que resultou em horas e horas e horas de pé e, consequentemente, algumas dores de pés e costas. Quanto ao meu outfit escolhi um muito pouco sexy (ahahah) mas muito eficaz. Fiquei quentinha e suficientemente protegida da chuva até ao final da noite. Escolhi calças pretas de ganga, umas botas grossas, altas e muito feias mas que não deixaram que entrasse uma gotinha de água para os pés, t-shirt, camisola de malha, casaco quente por cima e ainda um impermeável com capucho por cima. Missão cumprida. Cabelo como se estivesse a sair do banho (mesmo com dois capuchos) e as mãos molhadas durante horas, mas suficientemente sequinha no resto do corpo.

Bom, consegui aproveitar bem o festival, dentro dos possíveis, e gostava mesmo muito de voltar no próximo ano, com um bocado mais de calor e bastante menos (ou nenhuma, de preferência) chuva.

Quando cheguei a casa, enfiei-me debaixo da água quentinha, vesti o pijama e fui logo para a caminha. Até ver não fiquei doente. Espero que continue assim.

Ah, quanto ao domingo, foi de descanso e pijama all day com séries e filmes à mistura!
Ando a ver The Crown e estou a ADORAR!

E o vosso fim-de-semana? Foi super?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

segunda-feira, 4 de junho de 2018

fim-de-semana


Que fim-de-semana bonito que eu tive! Mais um (e os próximos também vão ser super).
Comecei com um regresso ao ginásio. O mês de maio foi uma grande desgraça. Só fiz Pilates. Não corri nem fiz o meu treino do costume, o que significa que o regresso foi duro (mas está a ser pior agora, com estas dores horríveis!). A manhã foi passada de volta das máquinas, pesos e tapetes. 

Depois disso, fui almoçar com uma amiga. Um almoço bom, demorado, com a janela ao lado aberta e com uma sangria bem fresquinha para acompanhar. Depois de sairmos de lá fomos tomar um cafezinho para uma esplanada. Depois do café veio uma cerveja e uns tremoços para ir acompanhando a conversa boa. Quando nos cansamos de estar naquele sítio, fomos "lanchar" para outro sítio. Despedimo-nos e prometemos que nos voltaríamos a encontrar em breve.

Eu segui para casa. Descansei um pouco e troquei de roupa. Tinha jantar marcado com outros amigos no sushi mais in da cidade. À hora combinada, lá fomos nós com a missão de tornar a minha amiga fã de sushi. Ficou, claro! Mais uma sangria deliciosa para a nossa mesa e um jantar maravilhoso, em ótima companhia. Fizemos planos espetaculares para os próximos tempos... Já era muito próximo da meia-noite quando deixamos aquele restaurante giraço. Fomos para os bares beber um copo e continuar no convívio.

Tanto o almoço como o jantar foram tão bons, a companhia era tão boa e a conversa tão agradável que não tirei uma única foto, não peguei no telemóvel uma única vez... Como devia ser sempre.

O domingo foi de descanso e um pouquinho - muito pouco - de trabalho.

E o vosso fim-de-semana, foi fixe?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

segunda-feira, 28 de maio de 2018

haters gonna hate


Este texto é um desabafo.

Não sei se já repararam - é praticamente impossível que não o tenham feito -, mas as redes sociais andam infestadas - sim, infestadas, tipo pragas! - de haters, trolls e gentinha que se acha muito superior a tudo, e pior, que acha que tem imensa graça. Abrimos o facebook - habitat natural destas espécies - e é um rol de comentários de ódio e sarcasmo sobre os mais diferentes assuntos - que isto é gente que percebe de tudo e comenta tudo.

Quando uma pessoa normal vê uma notícia sobre as unhas da princesa pode fazer uma de duas coisas: 1) ignorar totalmente aquela publicação, opção que eu aconselho vivamente; 2) abrir a notícia, ler, compreender e seguir com a vidinha adiante. Mas um hater não consegue manter nenhum destes comportamentos. Um hater vai comentar com uma receita qualquer - já não há pachorra para essa "piada" - só para dizer que é demasiado culto para ter interesse numa "notícia" sobre as unhas da princesa. Não ignora, que é lá isso!? Não! Vai à luta e chama nomes, destila aquele odiozinho acumulado na espinha, comenta de forma sarcástica e, no final, assolado pela curiosidade, mas no maior dos segredos, clica na notícia e lê tudo sobre as unhas da princesa.

Eu não defendo "notícias" dessas. Aliás, tenho uma opinião muito formada em relação a esse assunto, mas dava um outro post e não quero entrar por aí. Não tenho é paciência para estes trolls na internet que se acham super engraçados e superiores. Na verdade, imagino que sejam pessoas muito introvertidas, que nunca conseguem ser ouvidas na multidão, que não tenham nada de relevante para dizer ou fazer na vida e encontram na caixa de comentários um símbolo de poder, ainda que falso. No fundo, a grande maioria dos haters são uns choninhas na vida real.

Mas há um tipo de hater pior - verdade, existe! - que é aquele que acha que sabe. Esse faz-me revirar os olhos 10392 vezes por minuto. Os comentários desses haters normalmente começam sempre com as duas palavras da praxe, em caps lock: "É VERGONHOSO!" - Estão a reconhecer alguns, não estão? Eu sei que sim ;) - Essa espécie adora comentar e comenta sempre que tem oportunidade, o que acontece várias vezes ao dia, porque este tipo de haters também não deve ter muito que fazer. São aquelas pessoas que partilham 2040 coisas por dia, sabem?, que nos enervam solenemente e que já ponderamos demasiadas vezes eliminá-las dos amigos. São pessoas que acreditam em TUDO o que vêem nas redes sociais de forma estúpida ingénua e que depois, quando são confrontadas com a realidade, nos dizem, de dedo indicador levantado "Não, não! Eu vi no Facebook!". Ah, bom. Então deve ter sido a BBC que se enganou. 

Estes haters destilam ódio sobre um serviço/produto, mas nunca na página da empresa que presta esse serviço/vende esse produto. Nah! Apenas naquelas páginas criadas para reclamar, para destilar veneno, mas em grupo, sabem? Páginas essas criadas por pessoas que pertencem à mesma espécie. Mas o pior é que essas pessoas que reclamam de TUDO - porque se faz, porque não se faz, porque disse, porque não disse, porque devia de ser azul, porque azul não pode ser, porque se gasta, porque não se investe... - na verdade, não se encontram informadas sobre NADA. Não sabem nada. Não se informam, não perguntam, não se questionam. Apenas leram por aí que é assim e é assim. Verdade absoluta. São pessoas que não conseguem ponderar, serem sensatas, verem o problema noutra perspetiva. Desatam a atacar, e pior, a criar desinformação, porque quem as lê acredita que estas pessoas estão extremamente informadas sobre o assunto. 99,99% das vezes não estão. Nem perto disso. Estas pessoas são aquelas que andam sempre de telemóvel em riste, prontas a fotografar uma situação que lhes pareça incorreta para publicar e denunciar no facebook e, assim, conseguir mais meia dúzia de likes. São também as que põem like no seu próprio post. São as que não estão nem aí para as explicações de quem percebe realmente do assunto, porque a opinião da pessoa já está formada, porque viu - mesmo que não tenha visto nada em concreto ou em contexto - ou porque leu no facebook. São pessoas mesquinhas, indignadas com tudo e tudo as revolta. Daí dizerem "É VERGONHOSO" tantas vezes. No fundo, são as eternas indignadas. Indignam-se com tudo e com muito pouco. É o mood natural delas. Indignam-se porque se ajuda os pobrezinhos, "porque eles têm muito bom corpo para trabalhar" e indignam-se porque ninguém ajuda os pobrezinhos de Portugal "tanta gente aqui a morrer à fome e nós vamos ajudar os outros países". Indignam-se porque se ajuda o vizinho "porque eu sei que eles não precisam de ajuda! Já vi o filho mais novo a chegar a casa com um ovo Kinder na mão. Se têm dinheiro para comprar ovos Kinder não podem ser pobres, não é?". Indignam-se porque se limpam as ruas e "gasta-se água", e indigam-se porque não se limpa e que "as ruas cheiram mal e têm muito lixo". Indignam-se porque "as estradas não estão em condições" e indignam-se porque "só se gasta dinheiro em fazer estradas". Indignam-se porque se apoia os refugiados, "que vêm tirar-nos os empregos e são todos uns terroristas" e indignam-se se virem no telejornal que ninguém os apoiou e uma criança morreu na praia. Para eles, são exemplos máximos da cidadania, são preocupados com a sociedade, são pessoas íntegras, porque se indignam. No entanto, não defendem nenhuma ideologia, não têm uma opinião formada e coerente nem se preocupam em interceder para fazer a diferença. Acordam e pensam "hoje vou indignar-me com o quê?".

 São também estes indignados que estacionam em cima do passeio ou em segunda fila, que atiram papeis para o chão, que ignoram pedidos de ajuda, que dizem que "voluntariado é exploração" ou que fazem as naturais tropelias da "chico-espertice".

Não me interpretem mal, todos nós temos o direito e o dever de reclamar quando vemos que algo não está bem. Mas há a reclamação consciente, coerente, com argumentos fortes, de quem se informou - em sítios ou com pessoas CREDÍVEIS - e há as reclamações de quem nem pondera, não se pôs na outra perspetiva, de quem simplesmente quer reclamar.

No fundo, com este meu desabafo, gostava mesmo muito de explicar que queria que todos nós, antes de partirmos para conclusões precipitadas, tivéssemos o discernimento de analisar a situação, de ver o plano geral e não aquele em particular, de perguntar o porquê do sucedido, de pesquisar e, acima de tudo, de nos pormos no lugar do outro.

Sabem como é pôrmo-nos no lugar do outro? Às vezes custa, mas depois de o fazermos aprendemos a relativizar, a compreender, a sermos TOLERANTES. E a tolerância não é só uma palavra bonita. É necessário pô-la em prática com mais frequência, sabem? Sinto que há cada vez mais gente intolerante, mesquinha e, consequentemente, muito fechada e ignorante.

Vamos falar só quando soubermos do que estamos a falar? Vamos todos fazer esse exercício?
Por favor?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

quarta-feira, 23 de maio de 2018

do it yourself

Eu disse que regressava com mais um post que tinha que ver com o casamento real. Bom, mas desta vez é um post mais útil do que os restantes. Há algum tempo ando a pensar escrever sobre roupetas para cerimónias, mas nunca me sinto inspirada nem encontro nada que adore. Mas como este fim-de-semana vou ter uma festa e, indiretamente, fui inspirada pela querida Meghan Markle, achei que talvez vos acontecesse o mesmo. Então eu peguei nas fotografias de algumas das convidadas e toca de recriar os looks liiiiiigeiramente mais low cost. Vamos a isso sem mais demoras?

Escolhi 7 senhoras para nos inspirarem para todas as bodas e cerimónias várias que vamos ter nos próximos meses. Ah, claro que aprimorei um pouquinho ali na questão das headpieces, porque nem sempre nem nunca, certo? Mas vá, depois vocês devem adequar à situação, combinadas?

Gina Torres
Vestido 79,99€ Mango | Sapatos 79,95€ Aldo | Clutch 45€ Casa Batalha | Brincos 4,99€ e Pulseira 4,99€ Parfois | Batom 9,99€ H&M

Sarah Raffert
Vestido 32€ Topshop | Sapatos 79,95€ Massimo Dutti | Clutch 23,99€, Headpiece 16,99€ e Anel 4,99€ Parfois | Alfinete 25€ Casa Batalha | Batom 9,99€ H&M 

Caroline Greenwood
Vestido 59,99€ H&M | Sandálias 29,95€ Zara | Clutch 45,95€ Aldo | Relógio 25,99€ e Travessão 2,99€ Parfois | Óculos de Sol 15,99€ Mango

Carey Mulligan
Vestido 39,99€ H&M | Headpiece 19,99€ Parfois | Clutch 35,95€ Aldo | Sapatos 29,99€ H&M

Pippa Middleton
Vestido 98€ Topshop | Sapatos 59,95€ Aldo | Clutch 29,99€ Mango | Headpiece 20,99€ Asos

Charlotte Riley
Vestido 125€ Topshop | Sapatos 39,95€ Zara | Clutch 19,99€ Mango | Headpiece 13,99€ Asos | Blush 7,99€ H&M

Victoria Beckham
(O vestidinho da Victoria é preto porque não encontrei nenhum azul - como é a cor do vestido dela - com um modelo semelhante. Neste caso, o decote está nas costas)
Vestido 39,99€ Mango | Sapatos 89,95€ Aldo | Headpiece 13,99€ Claire's


Opiniões?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

be my guest

O casamento real deu que falar. A cerimónia foi muito pouco convencional, a noiva estava linda e o Harry é um fofo. Mas aqui ainda não falamos dos convidados... E desses, há muito que se lhe diga. Apesar de não ter conhecido 90% das pessoas presentes, porque fazem parte da nobreza britânica e não só, vi por lá muitas caras lindas e conhecidas, entre elas, o elenco de Suits. Fo-fos!

Antes continuar, quero aqui fazer uma pausa para admirar dois homens que estão na minha "To Love List". Vá, vão lá buscar o cafezinho para ficarem aqui só a bebericar e a observar... O lado bom da vida:

Gabriel Macht
a ser Harvey Specter no seu melhor... Socorro!

David Beckham
a fazer a magia do costume.

- que calor que ficou aqui... deve ser do café! -


Bom, mas vamos focar-nos agora nas senhoras, certo? É que tirando estes dois meninos aqui em cima, a história é sempre a mesma.

As convidadas até foram muito bem vestidas, para grande espanto meu. Não houve nenhuma, que tivesse visto, que me fizesse revirar os olhos e perguntar "Porquê Senhor?". Mas também me chego à frente para afirmar que não houve nenhum vestido que me causasse uma taquicardia. Bom, a verdade é que estavam todas muito lindas e cheias de pinta. Claro que foi fácil isto acontecer, até porque a Luciana Abreu e as manas Ronaldas não foram convidadas.

Vamos começar.

Tom Hardy e a sua elegante esposa, Charlotte Riley. 
Optou por um vestido preto com padrões florais.  Não adoro pretos em casamentos, mas como o vestido tinha padrão, já deu para cortar um bocado. Gostei da ideia e gostei do chapeuzinho. Estava giraça. Já o seu esposo careca, parece um camionista.

Amal e George Clooney
Outro casal tchana. A Amal deve ser a única pessoa no mundo que veste este amarelo e fica assim como se vê. A giraça, elegantérrima, brasa-brasa, tudo-de-bom que se vê. Mas é a única pessoa, ouviram? Única. Não se ponham com ideias. Esqueçam este amarelo para o vosso vestido do casamento da prima. Já o senhor Clooney, como ia tão bem acompanhado, nem se maçou muito em mandar o fraque para a lavandaria. Este fatinho básico-de-todos-os-dias e a sua gravata amarelo-cueca chegam muito bem.

Gina Torres
Mais conhecida pela implacável e super-hiper-mega estilosa Jessica Pearson. Estava lindíssima. Eu usava este conjuntinho na maior e acho que foi o vestido que mais gostei (e mais outros dois, que já vos digo). É fresco e elegante e o pormenor do chapéu é original e com um toquezinho de jazz e soul, não acham? Adoro!

Gabriel Macht e a esposa Jacinda Barrett
Que estavam lin-dos! Que casal maravilhoso! Estão em matchy-matchy (que acho super parolo), mas aqui resultou muito bem. Claro que ser o Harvey Specter ajuda.

Patrick J. Adams e Troian Bellisario
Não fiquei wooow com estes dois. Ele parece que tem mais 5kg com este fato e ela foi num tom demasiado claro para um casamento, mas com um vestido bonito. As sandálias é que não são assim a última bolacha do pacote. O vestido e o chapéu pedia um calçado mais elegante. Fazendo o contexto para as mais distraídas, o Patrick é o esposo da Meghan na série Suits

Sarah Rafferty
A Donna Sarah nem precisa de apresentações. Esta senhora está sempre em bom e no casamento real não foi exceção.

Abigail Spencer e Priyanka Chopra
A Abigail é outra personagem de Suits. Com aquela cara linda e aquele corpaço, pouca coisa lhe fica mal. O vestido não tem grande história nem o acho super apropriado para um casamento real (mais para um piquenique real, vá) mas que lhe fica bem, ninguém pode negar. Já a Priyanka, bom, está em lavanda e fecho aqui o assunto.

Carey Mulligan
É um belo exemplo de um vestido bonito, fresco, leve para se levar a um casamento real. Se algum dia estiverem nesta situação, já sabem.

Caroline Greenwood
Não sei se quis combinar com o nome, mas que este foi um dos meus vestidos favoritos do dia, foi.

James Blunt e Sofia Wellesley
Mais um padrão floral giro. E o James Blunt ali ao fundo vestido de grilo, mas em bom!

Oprah Winfrey
Não é assim o vestido mais incrível até porque não lhe favorece muito, mas o tom é bonito e fica-lhe a matar. E não nos vamos pôr com coisas. A Oprah é a Oprah.

Pippa Middleton e James Matthews
Grávida e feliz da vida, em mais um vestido floral engraçado, muito gozado por ser igual a uma lata de uma bebida qualquer. Well, haters gonna hate. É giro. Não é extraordinário, mas é giro.

Rainha Isabel II
Num verde limão combinado com roxo e com os sapatos do traje. É a maior!

Serena Williams and Alexis Ohanian
Sempre que olho para esta senhora dá-me umas consumições que nem vos passa. O vestido é girinho,  a cor fica-lhe muito bem, sim senhor. Mas depois não percebo o que é que aquele colar está ali a fazer. Só me apetece ir arrancá-lo à força! Raisparta!

Victoria e David Beckham
Vamos dizer todos em uníssono: "O vestido da Victoria é azul marinho". Azul marinho. Ouviram? Repitam 10 vezes. Não é preto! Parem de dizer que a senhora parece que vai a um funeral. Aliás, esta é a cor dela para casamentos reais, percebem? Não? Então pesquisem o outfit da senhora em 2011 no casamento da Kate e do William. Vão lá ver. Relativamente ao casal, praí desde 2010 que eles não sabem o que significa estar mal vestidos. Simplesmente não sabem.

Ah, e deixem de dizer que a senhora não ri, que é uma antipática e blablablá. A Vicky é muito engraçada, muito querida e amorosa, mas a cena dela para as fotos é esta, ok? Há quem prefira pôr a perna fora da racha, que vire as costas para mostrar o decote, há quem ponha as mãos na cintura (tipo Beyoncé) para realçar a figura. A cena da Victoria é não se rir. Deixem a mulher em paz, caraças!

Cressida Bonas

Chelsy Davy
Estas duas meninas são as ex do príncipe Harry. Toda a gente ficou muito escandalizada com a presença delas na cerimónia. Eu se fosse a Meghan, não me importava nada que elas estivessem lá. Era uma oportunidade de desfilar de tiara em frente a elas, com aquele corpinho de sonho e com aquele sorrisão incrível, tipo "Chupeeeeeem, quem é a princesa agora? Hum?". Vá, brincadeira, é chato e eu não queria que as ex fossem. Mas foram e estavam muito bem. Eu roubava o vestido da Cressilda fácil. Mesmo. Fanava-o e não tenho vergonha de assumir. Estava linda, linda. Quanto à Chelsy, acho que estava bem, mas a saia não a favorecia muito. Bom, mas isso não interessa nada, não é? Não eram as noivas... Temos penaaaaa! (Não temos nada).


Mais logo, prometo o último post sobre o casamento real. 
Vá, não rebolem ojólhos que eu acho que vocês vão gostar.
E depois (talvez) não volte a falar do assunto.
Combinado?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

terça-feira, 22 de maio de 2018

fim-de-semana

Mais uma moedinha, mais uma voltinha. Tive direito a outro super fim-de-semana cheio de coisas bonitas e com cheio a verão!

Começou com um concerto especial num sítio especial. Ouvi peças de Edward Elgar e Beethoven tocadas pela Orquestra de Guimarães. Que bonito que foi... E que bom ver aquele espaço cheio, com pessoas de todas as idades a assistir!

O sábado de manhã começou cedo, comigo no sofá, de pijama, a comer cereais e a ver o casamento real (ahahaha). Juro. Depois tive que abandonar. Entreguei-me à missão de encontrar O vestido. O meu vestido do coração. Apaixonei-me por ele há 1 mês, mas como era caro como tudo, decidi não comprar, ponderar. Arrependo-me tanto disso, pá! Está encomendado mas não está fácil. Na loja, ninguém me deu notícias durante toda a semana e então decidi ir a outra loja. Também não tinha. Filho da mãe, a fazer-se de difícil! Depois, como ainda fui passear por perto da loja onde o tinha visto da primeira vez, lá fui perguntar se havia notícias. Disseram-me que estava a caminho de uma outra loja num outro ponto qualquer do país e que deveria chegar na próxima semana. O que significa que vai haver um dia em que vou sair do trabalho e enfiar-me na autoestrada na esperança de conseguir apanhar a loja aberta, para experimentar O vestido e perceber se, efetivamente, fomos feitos um para o outro. É uma canseira ter ideias fixas e paixões intensas, digo-vos.

A tarde serviu para passear pela cidade, chupar um gelado e apanhar um pouquinho de sol. Foi bom. Logo após o jantar, voltei a arranjar-me para sair para um outro concerto. Conhecem o Erland Oye? Deviam! Foi o segundo melhor concerto que vi este ano. Maravilhoso, surpreendente, cheio de energias positivas... Ficava ali mais 3 horas na boa a ouvi-lo cantar e tocar. Incrível! Fui de coração cheio e super inspirada para casa. Que noite bem passada...

O domingo foi bem mais tranquilo, em casa, a organizar o roupeiro (fora com os casacos de pelo e acolchoados) e a escrever no blog, que também já era tempo!

E o vosso fim-de-semana também foi super?


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt

segunda-feira, 21 de maio de 2018

globos de ouro 2018

Este ano resolvia-se fácil. Enfiava tudo em duas categorias: os maus e os menos maus. Não houve nenhum vestido que me fez suspirar, ter tonturas, quebras de tensão, tremeliques numa pálpebra... Só se fosse pelos piores motivos. Mas claro, uma pessoa vem dali de um casamento real, com a giraça da Meghan Markle e já está mal habituada...

Não vi os vestidos na televisão (apenas por fotos) nem vi a cerimónia, mas parece-me que não perdi nada, certo? Vamos então ao que interessa, mas não fiquem entusiasmadas, que isto está pior que fraco.

Começamos pelos "se fosses minha filha já estavas a levar!"
Inês Castel Branco
Nunca pensei ver este dia chegar, já que esta menina está quase sempre no meu top. Este ano decidiu vir assim, neste desperdício de tecido - tecido que ainda por cima é brilhante! Se não houvesse ali aquele corte a meio, como se estivesse a usar um blazer por cima de um vestido de gala (que horror!!!), podia ser que a coisa melhorasse um pouco, mas não. Safam-se as costas e as jóias lindíssimas. De resto, é um zerinho redondinho aqui para a mesa 3. 

Dânia Neto
Não podemos dizer que é uma surpresa. Os looks da Dânia baseiam-se sempre numa coisa, ou melhor, duas: MAMAAAAS. Este é ligeiramente mais discreto, mas nem por isso melhor. O tecido faz-me lembrar o papel absorvente da cozinha e o modelo não a favorece nada.

Mariama Barbosa
Esta miúda anda 70% das vezes em bom. Ontem estava nos restantes 30%. A ideia é boa, tem corpaço, tem pinta, tem tudo. Faltou-lhe um tecido decente e um corte mais digno.

Mariana Pacheco
Também não podemos dizer que é uma surpresa vê-la aqui. Esta giraça tem a mania de se disfarçar de pessoa de meia idade em todos os eventos. E desta vez não foi diferente. Está tudo em mau, mas o penteado é inexplicável. E será que alguém me pode explicar esta obsessão por tecidos brilhantes?! Cre-do!!! Parece que vieram todas com as camisas do Tony Carreira! 

Sara Matos
Outra estreante nestas bandas. Não sei que espírito maligno se apoderou deste corpitxo, mas foi um espírito invejoso, certamente. "Ai és toda gostosa? Ai és uma grandessíssima giraça? Uma pintosa? Então toma lá este trombolho de vestido para veres quem manda." Aviso já que o vestido de frente é pior. Eu só quis ser simpática com a Sara, acredito que já tenha sofrido o suficiente hoje de manhã quando o espírito abandonou o seu corpo e ela viu as fotos da noite anterior.

Teresa Paula Marques
Com este macacão e especialmente com esta cor (juro que me estou a coçar toda), com aquele matchy-matchy do cinto com a clutch e com um cabelo de segunda-feira de manhã, a Super Nanny deveria sentar-se no banquinho para pensar na vida.

Soraia Chaves
Soraia Chaves a ser Soraia Chaves, mas com uns sapatunchos piores.

Catarina Sikiniotis
Credo! Não sei se o que está pior aqui é o vestido de 1874, a postura de "ó fregueeeeeeesa!", a maquilhagem de drag queen ou o penteado/emaranhado. Vamos acreditar que no conjunto tudo funciona perfeitamente para falhar redondamente.

Joana Santos
Ainda não percebi bem este vestido. A miúda não mudou de posição durante as fotografias? Não dá para ver a frente do vestido porquê? Sujou-se a comer e não quer que ninguém veja? Hum? Mas também não é preciso porque o padrão fala pelo corte. E até vos digo mais, se o padrão fosse mais bonito eu até era miúda para usar este vestido... na praia.


Aqueles que nem são carne nem são peixe. Estão ali no limbo.
Bárbara Lourenço
Está bem que é um Elie Saab mas não está a resultar bem aqui com a Bárbara. E eu até gosto imenso do cabelo e dos acessórios, mas o vestido não está a colaborar com o conjuntinho. 

Inês Herédia
Outro Elie Saab (estava em promoção e ninguém avisou?) que não resultou muito bem. Sou pouco fã desta cor e o padrão também não é a coisa mais feliz do mundo. O conjunto completo ficou assim meio estranho, não é?

Joana Solnado
A Joana está muito linda porque ela é linda, mas este vestido não está a ajudar muito nas proporções. O cabelo está assim um pouco para o despenteado, mas a maquilhagem e a clutch são giros. Não há muita história aqui.

Maria João Luís
Estou entre o Adoro e o Cruzes-credo! Acho que o fundo e a carpete em vermelho não favorecem o conjunto, ficando tudo muito confuso. Mas a ideia é gira, adequada e elegante.

Mariana Norton
Adoro o modelo do vestido mas não sou fã deste padrão para os Globos de Ouro. Ainda assim deu uma abanadela à passadeira vermelha.

Liliana Santos
O ar de praia, super saudável e feliz da Liliana estava maravilhoso. Aqueles acessórios giros, o cabelo, o bronze... Adoro. Tenho é dúvidas em relação ao material do vestido, demasiado não-Globos para o meu gosto. Quanto às sandálias não tenho dúvidas nenhumas: é para eliminar.

Cláudia Vieira
Não sei o que se passou aqui. O Luís Carvalho deve ter apanhado uma grande promoção nos tecidos acetinados e decidiu fazer stock para todas as meninas que quisessem ir aos Globos com uma criação sua. A Cláudia Vieira escolheu este amarelo torrado que não me choca, mas também não acho que seja incrível. A construção do vestido está fabulosa, mas não me consigo abstrair do acetinado, desculpem lá. Devo ter sido a única pessoa a não adorar este look.


MAMAAAAS EVERYWHERE!
Ana Rita Clara
Mamas, pernas, Ana Rita Clara a dar tudo, como é costume. Mas tenho que dar a mão à palmatória: jóias lindíssimas.

Luciana Abreu
O vestido até é bonito, o anel parece-me lindo. O problema aqui é a Luciana, que torna o conjunto sempre mais brejeiro do que realmente é.


Agora diretamente para a categoria "Vá, isto agora vai ao sítio"
Catarina Gouveia
Não sou fã da cor nem da parte superior do vestido, mas ao menos parece-me algo ligeiramente diferente do que já há aí aos molhos.

Carolina Loureiro
Gostei muito deste Pé de Chumbo da Carolina. Ficou uma giraça com aquele ar de praia mas não gostei daquele batom num tom que favorece umas 5 pessoas em todo o mundo.

Diana Chaves
A Diana podia vir de fato de treino que estava tudo bem. Eu gosto desta miúda, mesmo quando vem vestida de tenda de praia. Brincadeira. Acho que estava uma giraça, com um vestido completamente diferente do habitual e do esperado para uma passadeira vermelha. Giraaaa!

Iva Lamarão
O ar de Cruela não ajuda e o vestido é giro mas sozinho não faz a festa. Ainda assim, podemos dar os parabéns à Iva pela evolução. Já não parece tanto uma menina do Fama Show.

Sofia Cerveira
Fiquei para as bandas quando vi a Sofia bem vestida. Este vestido branco é digno de Globos de Ouro. Podia muito bem ter levado este aos Oscars.

Sónia Balacó
Sou a única pessoa no mundo que não é fã de pintinhas e esse, para mim, é o único ponto negativo no vestido da giraça e pintosa Sónia. Isso e aquela clutch manhosa.

Victória Guerra
Só a Victória Guerra para usar um vestido assim, tipo combinação, com aquele ar de santa e ainda assim ficar gira e sexy e tudo de bom...


Passamos para os "Bons, que ainda não estão no top"
Diana Bouça Nova
Este vestido faz-me lembrar o vestido da Diana Chaves de 2016 que eu gostei muito. Com outra Diana, apesar de não ser novo, continua a ser giro. Mas atenção que não vi a parte da frente.

Filipa Areosa
Não gostei à primeira (nem à segunda, nem à terceira). Nem sequer é o meu estilo de vestido. Mas se há vestidos dignos de Globos, é este. Ao menos distingue-se das restantes. O cabelo é que está uma pequena desgraça, não é?

Júlia Pinheiro
A Julinha tem uma fórmula que resulta muito bem. Vai mudando a cor, mas mantém o resto. E faz bem porque em equipa que ganha não se mexe.

Margarida Villanova
Se olhasse só para o vestido, ia direitinho para os maus. Mas como gosto de olhar para o conjunto completo, devo admitir que a Margarida estava uma brasa. Aquela maquilhagem e aqueles brincos, a atitude dela e o penteado... Tudo espetacular.

Paula Lobo Antunes
Mesmo sendo totalmente fora da minha zona de conforto, gostei muito deste vestido da Paula Lobo Antunes. Elegante, romântico e cheio de pormenores lindos. Tudo ficou mais brilhante com a maquilhagem, os acessórios e o penteado que a Paula escolheu. Que bem, que distinta!



Top 3
Ana Marques
A Ana Marques ou acerta em grande ou opta por um falhanço épico. Neste caso acho que apostou muito bem neste Luís Carvalho (foi o grande estilista da noite, não?) que apesar de outro acetinado (nheca!) resultou muito bem com o plissado, com a cor e com o modelo original. Adorei aquele conjunto de pulseiras, a maquilhagem e as unhas super bad ass. Não acho que combine com a pessoa em si, mas que estava gira e diferente, lá isso estava.

Raquel Strada
A Raquelita já esteve beeeeem melhor do que está aqui, mas como em terra de cegos, quem tem olho é rei, a Raquel domina sempre a passadeira vermelha. Isto é como quem diz: quando o resto é tão fraco, até o mediano sobressai. O vestido não é assim a última Coca-Cola do deserto e devo admitir que este azul elétrico causa-me um transtorno imenso. Mas há coisas piores na vida, não é? A Raquel estava gira, apostou forte (e bem) na maquilhagem e siga o baile.

Andreia Rodrigues
Para mim, a rainha da noite foi mesmo a Andreia Rodrigues (quem diria que alguma vez ia dizer isto?). A gravidez anda a fazer-lhe bem e aquele ar de rainha soberana é um mimo de ver. Amei o conjunto completo, aquela sobriedade, a elegância, a originalidade... Mamem meninas do Fama Shoooow! Lindíssima, sim senhora, mesmo super-grávida!


Sticky&Raw
Facebook | Instagram | 
stickyandraw@live.com.pt